29.2 C
Santo Antônio de Jesus
segunda-feira, 17 maio, 2021

SAJ: Representante do Atakarejo apresenta projeto para instalação no centro da cidade

spot_img
spot_img

Aconteceu na última sexta-feira, dia 23, na Câmara Municipal de Santo Antônio de Jesus (BA), uma reunião com representantes do ATAKAREJO, Ministério Público, CONCIDADES e SEINFRA, para discutir a possibilidade do empreendido ser instalado no centro da cidade.

O terreno pleiteado pelo Atakarejo é um imóvel localizado na Avenida Ursicino Pinto de Queirós, onde funciona atualmente o estacionamento da Facemp. Os motivos apontados pelo Município e pelo Concidades para vetar a instalação do Atakarejo nesse terreno são: Impacto Viário, Viabilidade da Rede de Esgoto, Solução de Drenagem, Viabilidade da Coelba, Licença Ambiental, Ruídos e impactos de vizinhança.

Durante a reunião a direção do Atakarejo se comprometeu em gerar aproximadamente 700 empregos (350 diretos e 350 indiretos) e realizar serviços como compra de material de construção, contratação de mão de obra e de serviços terceirizados, preferencialmente, contratados e consumidos dentro do próprio município.

Também justificou a arrecadação de IPTU, ISS, e TAXAS LICENÇAS, e mostrou possuir documentos e projetos de: Viabilidade da Embasa e Coelba; Rede de Drenagem própria e exclusiva paralela à existente; Licença Ambiental para implantação da obra; e, Projeto de equipamentos atenuadores de ruídos.

Sobre o Impacto Viário, o preposto do Atakarejo, Alexandre Mendonça, apresentou as propostas: Livre Acesso através de portões abertos permanentemente; Revisão do controle semafórico da região; Ampliação do canteiro central da Avenida; Entrada independente de caminhões (não haverá trânsito de carretas) e pátio para manobras e estacionamento; oferta de estacionamento interno para 252 vagas para carros, 58 para motos, e 16 para bicicletas, bem maior que as 152 existentes, aproximadamente, no entorno; e, realização de vistoria cautelar nos imóveis vizinhos.

Após a explanação, o Concidades e a Gestão Municipal se comprometeram em reavaliar a situação afim de reverem ou manterem a posição anterior, assim como de enviarem à Câmara de Vereadores o relatório técnico com as justificativas legais que impediriam o empreendimento.

Tribuna do Recôncavo

spot_img
spot_img

Leia Também

spot_img

Leia Mais

spot_img

Deixe uma resposta